quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Avaliação Formativa - Um novo conceito de avaliação.

Podemos dizer que a avaliação formativa é avaliar a ação do aluno como o sujeito a partir de um novo sistema de aprendizagem, estimulando a autocritica e mensurando as expectativas, o potencial e as carências do aluno
Ver o aluno como agente e não como simplesmente como coadjuvante de  em um processo ou como simples elemento de um conjunto, que geralmento chamamos de “turma”.
Implementar o trabalho em equipe para que as habilidades inviduais venham a ser um somatório na realização das tarefas do grupo. Tomar decisões, facilitar a comunicação, avaliar e resolver problemas.
Estimular a capacidade de conhecer o novo, de  transformar o aluno em agente, dentro de  um processo, onde ele na verdade perceba que, é ele é a peça mais importante deste contexto, pois qual é o objetivo final e principal deste  processo educacional, senão formar cidadãos conscientes e autônomos. A   aprendizagem  por meio de instrumentos (multimídia), que estimulem a criatividade do aluno e seu senso de autocrítica.

Em poucas palavres podemos resumir o sistema de ensino em quatro parte: sistema de ensino, professor, escola e alunos. Nessa divisão apenas o aluno é avaliado e consequentemente penasilado por sua nota e isso acontece apenas porque a avaliação é totalmente baseado em um critério ultrapassado, onde todo o ano do aluno é medido por apenas uma prova. A prova era ou é redenção do professor, é onde ele demonstra e exerce seu poder de ”vida ou morte”, e para o aluno um momento de intenso estresse. Todo o trabalho que o aluno desenvolveu em um ano letivo fica dependente de uma simples prova. Prova esta que é toda elaborada de acordo com a pura e simples VONTADE  do professor.
O professor tratava  a “turma” como um bloco homogêneo, não se preocupava em avaliar as diferenças e as dificuldades existentes entre os alunos daquela classe. Esse sistema foi e é sem sombra de duvida um fomentador da evasão escolar, pois na verdade separava os alunos em dois grupos; os aptos e os não aptos. O aluno reprovado terminava o ano arrasado, e iniciava o próximo ano letivo humilhado e desmotivado. Ele fica marcado como um incompetente. E ao se repetir essa situação, era sem duvida um motivo para acreditar que  a escola com um local de exclusão. E por muito tempo essa situação não era contestada. O aluno, os pais e a sociedade avaliavam a reprovação e aprovação, como uma situação onde o aluno era sempre o protagonista. 
Porém para o alivio dos alunos e melhora do sistema de ensino,  um novo método  de avaliação, tem norteado os educadores. E estamos tratando de um conceito praticamente novo. o conceito de “avaliação formativa”. 

"Avaliação é inerente e imprescindível, durante todo processo educativo que se realize em um constante trabalho de ação-reflexão, porque educar é fazer ato de sujeito, é problematizar o mundo em que vivemos para superar as contradições, comprometendo-se com esse mundo para recriá-lo constantemente." (Gadotti, 1984, p. 90).


É um processo de avaliação onde se acredita, que aluno conquiste e adquira conhecimento ao longo do processo de aprendizagem e que vai  reestruturando seus métodos de aprendizagem  à medida que executa essas atividades. É um processo dinâmico, onde as atividades, o desempenho do professor e dos alunos, estão em constante avaliação e com que norteará as mudanças necessárias para que se alcance os objetivos traçados. O propósito principal é  tornar  o processo de ensino-aprendizagem mais produtivo, e conseqüentemente se transformar em um fator de inclusão social. A avaliação formativa é: avaliar o aluno pelo conjunto de sua obra.

A tecnologia da Informação é uma ferramenta que nos últimos anos impulsionou os processos de  inovação, globalização, educação e inclusão social. Uma nova metodologia de avaliação está sendo testada, tanto na formação de professores coma na formação dos alunos. Estamos tratando do uso do portifolio eletrônico como ferramenta de avaliação. Neste caso avaliação  formativa. Como conseguir  melhores resultados fazendo uso dessa ferramenta, multimídia associada ao processo de avaliação.
Existem determinados parâmetros que devem ser observados na construção do portifolio eletrônico: Reflexão: aluno é um agente do processo educativo e deve através de seu censo crítico procurar a melhor maneira de apresentar e coordenar suas idéias, ficando a seu critério fazer alterações, quando acreditar que são necessárias.
A elaboração é de responsabilidade do aluno e ele devera exercitar sua autonomia.
A criatividade na hora de desenvolver o protifolio é de escolha do aluno, o mesmo deve ser estimulado a utilizar todas as mídias que estiver em a sua disposição. As diversas formas de linguagem (imagens, fotos, reportagens, videos, links...) formas que não se resumam somente ao trabalho escrito.
Os itens acima descritos estimulam um principio fundamental na avaliação formativa: a auto avaliação. Pois à medida que ele desenvolve seu trabalho, a autoavaliação estimula constantemente sua capacidade de criação.
Não podemos esquecer que este tipo de trabalho conta sempre com a participação do professor e do aluno.

O uso das tecnologias de informação ainda se constitui em grande tabu em nossa sociedade. E na produção e o acompanhamento dos portifolio eletrônicos encontraremos diversas barreiras. Afinal de contas estamos tratando de novo processo de avaliação de aprendizagem, onde se utilizam ferramentas novas.
A construção e a manutenção de um portifolio eletrônico requer  uma quantidade de tempo que muitos alunos e professores não dispõem. Não é tão fácil como parece externar nossos pensamentos e idéias, principalmente quando esse trabalho se tornará público. O grande número de alunos em nossas classes, limita o tempo que o professor pode dispor com cada aluno. Pouca familiaridade com os recursos tecnológicos além, da dificuldade de acesso que grande parte da população tem em relação à tecnologia da informação. Esses são somente alguns exemplos das barreiras, que o professor ira encontrar durante a implementação desta nova metodologia.

NÃO PODEMOS IMPLEMENTAR NOVAS TECNOLOGIAS SEM MUDAR METODOLOGIAS.




Nenhum comentário:

Postar um comentário